17 janeiro, 2010

Desamparo

Não sabia o que fazer, fiz um café. Bem melhor que nada.
Deus e Morte se igualam pois o enigma de um é respondido pelo outro.
Morrer é finalmente ser amparada?
No verão não vou podar a goiabeira nem meus cabelos. Para ter mais força.


Martha

13 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Eu simplesmente amei (olhe que eu digo adorei, quando adoro etc), mas AMEI o precioso texto. Estou aqui pensando, pensando... D+

maria guimarães sampaio disse...

Dá-lhe, Martha. Adoro seus textos.
---------
Falando francamente quando abro e é publicação de poemas de outros.... saio muuurcha (por mais belos que sejam, quero sempre ler texto ou poesia seus)

Chorik disse...

Morrer é dizer até logo para uns e há quanto tempo não te vejo para outros. E tua força não vem de teus cabelos. Vem do teu coração. Quer apostar quanto?
Bj

Mariana Botelho disse...

Martha, lindona,

me lembrou demais a Adélia. Lê-se nas entrelinhas: amei.

beijos.

aeronauta disse...

Muito precioso. Também sinto uma influência boa e forte de Adélia.

Janaina Amado disse...

Gostei muito do poema, Martha, dessa mistura tão bem feita (e tão difícil) de metafísica com cotidiano.

Edu O. disse...

e deixar esta vida besta passar... linda

Giselly Lima disse...

Você, cada vez mais, boa de prosa. Muito bonito.

nilson disse...

Muito, muito mesmo, Martha!

dai-ane disse...

não cortar, não podar...
desamparo?
Amparo é deixar?

Terreno minado é
existir.

Anônimo disse...

Vim do blog da janaina amado conhecer mais da vossa poesia. Muito bela. Gostei.
Maria Clara, de Angola

KImdaMagna disse...

... me surpreendo sempre com a capacidade que Vc tem de fazer das pequenas coisas, como se todo o léxico esteja ali e bem arrumadinho...
as emoções que desperta, meu coração é pequenino pra tanto...

xaxuaxo

Diz disse...

Lindo!
Tb me descubro no livro de Clarice e preciso parar- me identifico. Acho q todas nós nos vemos muito nela.
Tb leio com prazer e certo receio- o que vir[á mais?
Um bjão, Elianne
A varanda está a sua espera qdo quiser :)

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria