15 janeiro, 2010




















Gerárd DuBois





Desde que o Samba é Samba


A tristeza é senhora
Desde que o samba é samba é assim
A lágrima clara sobre a pele escura
A noite, a chuva que cai lá fora
Solidão apavora
Tudo demorando em ser tão ruim
Mas alguma coisa acontece
No quando agora em mim
Cantando eu mando a tristeza embora

O samba ainda vai nascer
O samba ainda não chegou

O samba não vai morrer
Veja o dia ainda não raiou

O samba é o pai do prazer
O samba é o filho da dor

O grande poder transformador

Caetano Veloso

4 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Êta baiano retado de bom!

Vaganeio disse...

Eita...sou baiano e tenho orgulho.
O samba é samba.

Beijos,.

maria guimarães sampaio disse...

e a pintura linda, de Gerárd Dubois? Onde encontrou?

lchm disse...

Essa imagem veio do Blog Silencio dos Livros?Lúcia Medeiros

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria