03 novembro, 2009

Poesia

Escrevo nomes
como quem passa batom
e pinta de vermelho
a boca

talvez porque sofra
desse destino
de me balançar
em rede tão fina.

Escolho pernas
cruzo e descruzo palavras
prolongo sílabas e olhares

E porque quero dançar
procuro poesia
no céu da sua boca.

As palavras
doidas pra tecer mistérios...
Confundo lábios e letras.

Martha

9 comentários:

Fernanda Leturiondo disse...

nossa, que bom!

Nílson disse...

Muito bom mesmo. E sensual-sensorial, e rítmica. Demais!!!

Gerana Damulakis disse...

Danadinha, sua poesia namora, isso é muito bom!

Ana Cecília disse...

Que delícia de poema, Martha!
pura dança.
abraço grande!

RAINHA MAB disse...

Martha, você é uma figura! Tô rindo até agora do seu comentário! Me dá um e mail, te mando os telefones!
Fiquei feliz demais que gostou, viu? São as opiniões que mais me importam.
Bj.
madame-butterfly@uol.com.br

Chorik disse...

Sua poesia é extremamente feminina, mas me identifico tanto com ela que começo a ficar preocupado...rs
Falando sério, tu arrasa menina! De longe, teus versos são sempre os meus preferidos entre todos os que você posta no seu blog. E vou cometer aqui uma indiscrição. Tem muitos bons textos naquela antologia, mas os melhores tem a autoria de Martha Galrão.
Bj

lucelena disse...

Que poema gostoso de ser saboreado, Martha!!!!

Leve, suave, sutil...

abrç
lucelena

aeronauta disse...

Chorik tem razão: muito bela, sempre, sua poesia!

Raiça Bomfim disse...

Esse poema é muito charmoso!

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria