05 novembro, 2009


Eu gosto mesmo é de usar vestidos
e saias.
As palavras me fascinam
por isso brinco com o fogo
das palavras.

Daquela tarde eu lembro
que mordi sem querer
minha boca
e das mãos em brasa.

Nossas mãos,
em silêncio,
criando segredos
e intimidade.

Martha


4 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Uma poesia cuja linhagem tem Florbela, Gilka Machado, Adélia Prado. Não estou falando de influência, sua poesia é muito própria, estou lembrando confluências quintanianas.
Um indicador para ela: poesia viva.

Georgio Rios disse...

Finíssima poetica que verte deste teus versos.Muito!!!!

Chorik disse...

Quem sou eu para contradizer Gerana?

Tania França disse...

Tá vendo como foi bom relembrar? Tava lá, nos meus alfarrábios...

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria