10 junho, 2009

Desamparo:

1. parecido com a chuva caindo e
vô Brício dizendo:
"chuva não quebra osso de ninguém" .


2. o pintinho morrendo engasgado
e a gente tentando salvar com óleo de cozinha.

3. eu, bem pequena, faço a oração recém aprendida e
misturo com a letra de uma música, na época,
muito cantada por Roberto Carlos:
"Meu bondoso anjo da guarda que me rege e ilumina
faça de conta que pra você não sou ninguém"

M.


16 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

1.o bom de ser avô é que ficamos mais sábios.
2. e o pintinho,se salvou?
3. adorei a oração com a musica de roberto carlos. agora,depois que li, não consigo mais falar a original sem o complemento do rei!

Gerana Damulakis disse...

O baú das recordações de cada pessoa acaba sendo mesmo um possível livro. Está sendo muito gostosa a leitura. Além do que, há um jeito original de contar: a lista, delícia pura!

Maria Muadiê disse...

Bernardo, querido, é mesmo, os avôs ficam mais sábios. Não, o pintinho morreu. acho tão triste pedir ao anjo da guarda pra ser ignorada...por outro lado, fico livre para nem sempre ser uma boa menina.
bjo,
Martha

aeronauta disse...

Linda maneira de recordar, Marta!

P.S.: é magá, sim. Ele adora!

aeronauta disse...

Ops!, mangá.

Georgio Rios disse...

Um bom traço, parece que pintavas enquanto estava escrevendo.

Janaina Amado disse...

Gosto tanto dessas confidencias!

Cosmunicando disse...

coisas singelas, palavra bonita =)

Lidi disse...

Adoro essa maneira literária, linda, de recordar! As memórias se tornam tuas e minhas também! Um beijo!

Juan Trasmonte disse...

É uma bela, belíssima síntese do desamparo.

Nilson disse...

Também sou fã dos seus textos sobre a infância. E esse trecho do anjo da guarda tem um quê de subversivo!!!

Edu O. disse...

que bom ter passado aqui por teu passado

. fina flor . disse...

sim, chuva, bem como paixões passageiras não quebram ossos ;o)

beijos, flor

MM.

Vieira Calado disse...

Após longa ausência:

deixo os meus cumprimentos.

Clóvis Campêlo disse...

A música não é de Roberto Carlos, o inimitável, mas sim de Paulo Sérgio, um dos seus imitadores.
Ah sim, o pinto morreu para entrar na história.
Ah sim, os anjos da guarda também atrapalham.
Bom mesmo é perder a cabeça de vez em quando.

Gerana disse...

Já estou com a antologia, Goulart me deu. Por enquanto, o que mais gostei foi "Saudade" (li 3 vezes), mas, vc sabe, há poemas que depois crescem com as releituras. Pode ser que amanhã eu tenha descoberto nos demais outros encantamentos. Hoje, é "Saudade" quem me seduz.

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria