19 novembro, 2007

Saudade

o que me mata
é o silêncio
e o beijo
não ser na boca

o que me mata
é a falta
de seus olhos
nos meus

o que me mata
é a ausência
de mãos
e palavras

o que me mata
é esse breu.

Martha

11 comentários:

aeronauta disse...

Poema inventivo, principalmente porque seu nome nele vira poema. Muito bonito.

Renata Belmonte disse...

Tomara, né? Bonito poema!
Beijos,
Renata

Anônimo disse...

Marthica, tu escribes tan bello, niña preciosa, que yo
bebo a sorvos cada palavra y cada metáfora que tu
inventas. Permíteme dedicarte un poema solo para ti.

besitos poéticos de
Luis Eduardo

SOLEDAD

Uma estrella me dice.
!ay! que te vió pasar,
rayo de luz viagero
de la azulada profundidad.

Una estrella me dice
que oyó un dulce cantar,
cuando entre coros de ángeles,
tu, Martha, comenzaste a rimar.

Mi estrella azul me dice,
hijo, tu eres bien casado,
No incomodes la niña
cuyo violín gime la soledad

anjobaldio disse...

A gente tenta não morrer com a sangria sonolenta do dia-a-dia..........................

laura disse...

Foi lindo da primeira vez que li, e foi mais lindo ainda da segunda.
Com certeza o beijo tem que ser na boca, sempre.
Beijos sempre,
Laura

Kátia Borges disse...

Oi, Martha, falou com Adal? Recebi um e-mail dele hoje. Belo poema. Bjs

Nanda disse...

Nossa, Martha! Que belo jeito de dizer da saudade.
Bj

Raiça Bomfim disse...

Martha, o tempo tem me escapado pelas frestas e até pra poesia tenho tido pouca hora. Mas poder parar um tico pra passear por aqui é sempre uma delícia.
Na época que você mandou o link, eu fui lá no site das sete mulheres, mas a pressa não me deixou comentar. A força que suas palavras carregam, sempre vestidas de tanta sutileza- uma coisa tão feminina, de fazer vermelhar os lábios num riso de desmascaro- está compondo maravilhosamente o novo blog.
E por aqui, sempre muita beleza. Aliás, essa foto das meninas na canoa, em Siribinha, tá de uma coisa linda de morrer!!!

Beijão,
Raiça.

Ramon de Alencar disse...

...
-O breu é da cor da distância....

Casulo Temporário disse...

que coisa linda, Martha!
beijo!
Ana

Adriano Caroso disse...

É por isso que saudade não tem tradução. Como traduzir tão belas palavras?

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria