04 outubro, 2007

A Chuva de Maria

Tudo por fazer é água
que Maria acolhe e carrega
no cesto.
Chove Maria
chora o leite derramado
lambe as letras
sorve o leite
pranteia seus amados,
Maria.


Martha

16 comentários:

Salve Jorge disse...

Ah Maria
O que de nós seria
Sem o pranto a ser vertido
Sem a dobra do teu vestido
Nesse mundo dolorido
Que pode virar mar colorido

O que de nós seria
Maria
Amaria
Sabendo que há mar
Para se buscar
Mesmo que a água salgada bem possa
Escapar do olhar
Até formar poça
Ah Maria
Há mar
E há Maria
Ah, mar...

André, um Jerico disse...

Maria amaria e riria
inda que amar e rir não pudesse.
Ah Maria avessa e inversa
que torna o terno interno
e faz regra onde perdura caos.
E por teimosia e alevosia
ama e ri ao invés de chorar.

Beijo

Recebeu meu e-mail... responda por favor se sim ou não

André, um Jerico
www.ideiadejerico.com

Verônica Aroucha disse...

Maria chove porque a pele é da cor da flor.
Quando escorrega é sentindo o leite que se banhou de sua mãe Maria.
Intenso. Meu abço vai longe!
Verônica

KimdaMagna disse...

"Prosapoétidito"

A Desescrita
como moeda forte,
o silêncio como lastro.
Vítimas
do mesmo enigma,
porque somos guardados,
para testemunho de onde
não pudemos estar?
Sorriso da silenciosa glória,
um desfazer / fazer
que se pensa a si mesmo.
- Mãe, conheces tu a paixão
da fidelidade... o ato sem palavras?
Querer nosso, do calamento,
tiramos nossas vontades.
Opôem-se efectivas relações
à verdade imediata.
Atropelo existencial.
Resulta enigma camuflado
eco que ressoa
dentro de nós.
De costas para a rua,
não sofremos.
Lutemos!

ai UÉ maria!!!

Conceição Pazzola disse...

Lindo, Marthinha.

Teresa disse...

e Maria chove.....chove lindo
Bonita sua poesia Martha.
bj.
teresa oliveira

Gerlane disse...

"Maria, Maria é um dom , uma certa magia... Uma mulher que merece viver e amar como outra qualquer do planeta".

Bonito, Martha!

Beijos,

Gerlane

Moacy Cirne disse...

Um bom poema: o verso como exercício e sentimento, lambendo letras e palavras. Beijos.

Rafael Velasquez disse...

ah essas marias...

Márcia(clarinha) disse...

E chora Maria pro renascer da flor...

beijos

Fred Neumann disse...

Cara Martha,

Passeando pela web, vi que você curte o blog de um amigão meu, o Antonio, do " Diz que fui por aí".
Como havia muito não conversávamos, vim aqui pra ser recebido por um belo poema.
Tá tudo bem contigo?
Eu vou ser pai ( ao vivo pois já tá na barriga há tempos) de novo em menos de 10 dias.

beijos,

Fred

Aline disse...

Marthinha,

Por que e que quando leio teus poemas fico sempre tentando descobrir como e que tu consegues juntar as palavras desse jeito??? E magica ou o que???

Sempre perfeitos, sempre lindos e suaves e meigos!!!

Parabéns!!!

Rafael Velasquez disse...

suas preses foram ouvidas.
:)


Beijo.

Ramon de Alencar disse...

Cantiga para Maria
(Duo para Voz e Sete Cordas)

Vem Maria, ser presente de meu dia,
Pois aqui eu só tenho passado
Um passo de cada agonia...

Vem, mas vem pra se perder
De nossos dias distantes,
Antes que a saudade seja morrer

Vivendo apenas de lembranças.
Antes que a saudade seja correr
Com perninhas de crianças...

Maria, sei que apenas teus dedos
Desatam o nó cego dos medos
E atam os nós dois de minha mão.

Pois Maria, eu fiz esta canção
Para que não te esqueças
Do que aqueço no coração.

Vem Maria, vem aqui se prender
Solta nos laços de meus braços.
Vem aqui, presente de meu dia,

Antes que a saudade seja correr
Com perninhas de crianças
E viver seja apenas lembranças.
(Cantiga escrita para a Maria das Fadas, www.vocabulah.blogspot.com)

...
-Para acrescentar as graças as MARIAS...
Ave!

Fábio Vanzo disse...

:) primeira visita aqui... vou fuçar, tá?

José Calvino disse...

Belíssimos versos, Marthinha!
Introdutórios que proporcionam imediatamente a "chuva das letras",
na qual a imaginação segue no mesmo ritmo interpretativo...Maria.
Parabéns, poetamiga!
Beijos do,
Calvino

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria