25 julho, 2010


Quando meu primo Marcelo foi batizado, eu estava com uns quatro anos de idade. Tia Luda foi lá em casa pegar emprestado o aparelho de jantar de minha mãe para a comemoração. Eu só de olho na movimentação.
Minha tia, já conhecendo a peça, disse: Martha, vou levar emprestados os pratos de sua mãe, mas você não precisa contar a ninguém. Fiquei calada.
Na hora do almoço, todos sentados à mesa, eu disse alto e em bom som: Tudo aqui é de tia Luda, até os pratos!

(Em homenagem à minha amiga Líris Letalheres)

12 comentários:

LIRIS LETIERES disse...

Enquanto eu, ponho em e-mail, facebook e agora até em blog de poeta!
Etaporra semsegredos, essa eu!
Tia Luda, liguenão! É massa a variedade q pode pintar!
p.s. Tinha fita crepe na época dela? Aqui faltou.
Liris Letalheres

aeronauta disse...

Adorei!

Gerana Damulakis disse...

Legal, Martha.

dade amorim disse...

Essas coisas é que fazem a gente ter inveja das crianças, tão livres que não conseguem guardar segredos, coisa de gente grande.

Beijo.

Chorik disse...

muito bom! nada como as nossas gafes infantis.
:)

BLOGGETROTTER disse...

Quem corou no final da história? A tia Luda, de exasperação? Sua mãe de admiração? Ou você depois do raspanete?
Adorei
RJ

M. disse...

Uma maravilha. Bjs

Iara Maria disse...

que menina mais "inxirida"!!!

adorei o causo cotnjado confidencialmente... juro guardar segredo também...rs

beijos

Bernardo Guimarães disse...

maravilha!!

Diz disse...

rs vc já era ótima :) adorei!

Marcus Gusmão disse...

Yia Luda ficou nua. Mas a culpa foi toda dela.

Bárbara Jolie disse...

eita como era levada esse menina Martha! :)

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria