19 dezembro, 2009

O tempo perdido

Diante da porta da fábrica
O trabalhador súbito pára
O dia lindo o puxa pela roupa
E como ele se volta
E olha o sol
Tão rubro tão redondo
Sorrindo no seu céu de chumbo
Dá uma piscada
Familiar
Diz então camarada Sol
Não achas que é
Uma grande idiotice
Dar um dia como este
A um patrão?

Jacques Prévert

5 comentários:

Chorik disse...

Muito doido esse Jacques Prévert. Já leu uma da baleia de olhos azuis? E um que começa assim: "E Deus expulsou Adão com golpes de cana-de-açúcar
E assim fabricou o primeiro rum na terra"

Ironia fina ;)

KImdaMagna disse...

...querida Muadié , eu particularmente gosto da linguagem atrevida e toda a minha admiração vai para os seres que têm a sensibilidade de a descobrir para nós, como tu!!!!

xaxuaxo

Gerana Damulakis disse...

Fez falta no encontro.

Cosmunicando disse...

grande Prévert... concordo com ele :)

vim pra te deixar um beijo, dizer que curti o livro de montão e te desejar um maravilhoso 2010!

Giselly Lima disse...

Menina, estou tão feliz que as férias estão chegando... saudade de um dia (de sol) pra chamar de meu.

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria