21 fevereiro, 2009


Estômago, meu âmago, dilacera tempo,
comida e palavras. Revira-se.
Das palavras, já sei, algumas me perseguem,
entranham em minha carne.
Impossível me esquivar.
Penoso trabalho de excomunhão: rezo, penso, penso, rezo
para conseguir vomitar, desdizer, desmentir,
desenredar, desentranhar de mim.
Reviro-me para desfazer o mal.


Martha

12 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

gostei mesmo!

M. disse...

Uau! Você parece ter poesia pra tudo. Que bom!!!

Janaina Amado disse...

Este poema é muito forte e belo, Maria Muadiê. Parabéns! Também tenho palavras para "vomitar, desdizer, desmentir, desentranhar de mim." Não sei se conseguirei.

Adriana disse...

que lindo , martha...desvirar-se é render-se ao que nos faz um bem...

MARIAESCREVINHADORA disse...

Parabéns, Martha.
Gostei demais, você está cada vez melhor.

D. disse...

Martha, é bonito, mas é de doer.
Pois é, vc faz poemas virando-se do avesso.
Respondo lá sobre o livro e gatinhos.
Bjs
Laura
PS: Tb me confundo com meus nomes.

Salve Jorge disse...

"E quanto mais remo mais rezo
Pra nunca mais se acabar
Essa viagem que faz
O mar em torno do mar.."
Paulinho da Viola

Há que se tirar
Atirar
E a ti rasgar
Fazer urrar
Até arranhar
E ao sangrar

Sarar...

D. disse...

pois é, a camille está apaixonada por uma baiana gostosa rs
adorei
fiquei pensando em vc estes dias. Quer vir passar um fim de semana aqui? nos conhecemos pouco, mas o bastante para saber que seremos amigas. Moro com meus dois filhos jovens, é agradável aqui.
Não gosto de te saber desanimada ou dispersa. Eu sei o que é isto.
Entonces, tb és psi? quase desisti tb, hj trabalho mto pouco por causa da minha mudança pra cá. Mas adoro.
Acho que quero te dar colo- e tb preciso de um ombro- hj tive um sonho qu eme fez chorar mto, com meu ex amor-aquele que morreu, estava vivo, foi triste acordar e saber que...
enfim, bjs querida, Elianne

LIRIS LETIERES disse...

Quem foi que disse "até as pedras se encontram?" e Liris e Martinha, véi? Eu vou é vomitar o tempo que ando engolindo e ele a mim...
Eu tõ ficando velha e não te acho...Me disseram que eu tô preta(muito sol) e seca (mais magra) será que vou morrer preta e seca?
Praga de quem?De quem?
Martinha, kd seu sorriso de dente miúdo?

Nilson disse...

Muito bom, poeta Martha!!!

fred disse...

Ótimo poema, Martha.
Beijo

Casulo Temporário disse...

querida Martha,

saudade de ler você.
As fotos que você traz são sempre pura vida, gosto muito.
Adorei seus poemas para a Antologia, já lhe disse?
quis dizer - digo novamente.
estive tão dispersa, agora volto devagarinho.
grande beijo.

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria