07 novembro, 2008

Não tenho medo da morte

não tenho medo da morte
mas sim medo de morrer
qual seria a diferença?
você há de perguntar
é que a morte já é depois
que eu deixar de respirar
morrer ainda é aqui
na vida, no sol, no ar
ainda pode haver dor
ou vontade de mijar

a morte já é depois
já não haverá ninguém
como eu aqui agora
pensando sobre o além
já não haverá o além
o além já será então
não terei pé nem cabeça
nem fígado, nem pulmão
como poderei ter medo
se não terei coração?

não tenho medo da morte
mas medo de morrer sim
a morte é depois de mim
mas quem vai morrer sou eu
o derradeiro ato meu
e eu terei de estar presente
assim como um presidente
dando posse ao sucessor
terei que morrer vivendo
sabendo que já me vou

então nesse instante sim
sofrerei quem sabe um choque
um piripaque, ou um baque
um calafrio ou um toque
coisas naturais da vida
como comer, caminhar
morrer de morte matada
morrer de morte morrida
quem sabe eu sinta saudade
como em qualquer despedida.

Gilberto Gil

3 comentários:

Mani disse...

Não conhecia, mas amei!

Salve Jorge disse...

Da morte
Eu só aguardo uma dança
Que a vida
Eu tenho a sorte
De fazer bem colorida
Desde criança...

líria porto disse...

lembrei-me de algo que escrevi faz tempo:

imposição
líria porto

morria de medo da morte
resolvi matar a morte
sangrei a morte de morte
um punhal fino e cruento
e a morte não morreu

joguei o punhal na cova
condenei a morte à forca
eis o que aconteceu
a corda que eu usava
com toda a força que tinha
enrolou-se-me ao pescoço
fui eu que quase morri
e a morte não morreu

ofereci-lhe veneno
um copo cheio de morte
a morte bebeu a morte
e a morte não morreu
brincava a morte com o gelo

foi então que aprendi
existe a lei do mais forte
e mais medo que da morte
tenho eu medo dessa lei

*

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria