10 maio, 2008

a voz de meu pai viaja
a voz de meu pai me chama

a voz de meu pai reclama
a voz de meu pai fraqueja

a voz de meu pai pergunta
a voz de meu pai enseja

a voz de meu pai diz:
"tá, minha filha, um beijo"

para a voz de meu pai
a caixa de ressonância é meu peito


Martha

10 comentários:

Abrantes disse...

Ouvi a voz de teu pai, é doce.

Anônimo disse...

lindo demais!
vocês são lindos...é lindo o amor de vocês.
espero que vc esteja bem, querida.
saudades.
s.

aeronauta disse...

Dísticos maravilhosos. Melódicos. Ternos. Perfeitos. Abraços.

Anônimo disse...

Linda!!! Ele já viu ??

" Emília venha ver..."

Bjo grande

Marilia

Sílvia Câmara disse...

Êêêêê, Cinderela!
Muito bonito, viu?!

Salve Jorge disse...

A vós, pai
A mesma paz
Que você me traz
E daqui não sai...

inominável disse...

e que bem que bate, aí, a ressonância da ternura com que escreveste este poema...

MARIAESCREVINHADORA disse...

Aproveita bastante a voz, a presença, o abraço, o amor de teu pai, Marthinha.
Adorei.
Beijos,

Conceição

Raiça Bomfim disse...

Ô Matinha, que doçura, que beleza. Chega meu olho encheu de lágrima.
Feliz dia das mães atrasado, feliz maio, felicidades pela beleza.

Non je ne regrette rien disse...

gostei desse poema

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria