18 agosto, 2007

Exausto

Eu quero uma licença de dormir,
perdão pra descansar horas a fio,
sem ao menos sonhar
a leve palha de um pequeno sonho.
Quero o que antes da vida
foi o sono profundo das espécies,
a graça de um estado.
Semente.
Muito mais que raízes.

Adélia Prado

7 comentários:

Mani disse...

Eu queria também uma licença assim...beijos

Abrantes disse...

A calmaria sempre chega depois das tempestades e então o descanso se torna possível aos bondosos de alma.

Clóvis Campêlo disse...

O segredo da semente é explodir em árvore.
Clóvis Campêlo

Moacy Cirne disse...

Adélia Prado é uma referência importante para muita gente. Conheço pouco a sua obra. Mas gostei de vê-la aqui. Abraços.

Nilson disse...

Tô nessa. Cansei, mas não no sentido daquele pessoal da passeata de SP.

Bosco Sobreira disse...

Gostei de ver a Adélia aqui.
Só falta, agora, mais Maria, mais Maria e sua poesia.
Boa semana, minha querida.

inominável disse...

e eu quero dormir e voar... pode ser por esta ordem ou a ordem inversa ou simultaneamente... mas quero algo assim que me leve...

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria