20 abril, 2007


Não é só por minha culpa
que meus olham sempre encharcam,
bebo em minha alma
o gosto do mar.

Minha mãe e minhas tias
a mim confiaram o legado
de carregar no rosto
águas ancestrais.

Contaram-me que minha avó
inundou uma xícara de lágrimas
para banhar os olhos cegos
de seu filho recém-nascido

Como mandou Nossa Senhora,
também mãe, também Maria,
em sonho abençoado.

O menino chorou, comovido,
quando as águas salgadas de sua mãe
encharcaram seus olhos,

porém continuou cego
e em pouco tempo morreu,
a despeito da fé.

Minha avó até hoje chora
e apara suas lágrimas em xícaras
para molhar a minha voz,
de minha mãe e minhas tias.


Martha



Para a minha avó Mariazinha, que com letras trêmulas escreveu num cartão cheio de anjos: Martha, seja sempre uma boa menina.

28 comentários:

laura disse...

Martha, vc escreve tão bonito...
comovente este poema. Lindo.
Que bela homenagem à avó.
bjs querida, laura

Monica disse...

Quanta água. Quanta beleza!
E quanto ao meu texto não aconteceu nada demais não. Só um amor que passou a ser saudade.

Vladimir disse...

Refere François Chateaubriand que “não somos nada, sem felicidade”.

Qual é a sua opinião sobre este tema?

Carol Montone disse...

Que lindo Martha.....quem sai aos seus não degenera...parabéns....
beijos e obrigadísima pelas palavras
Carol Montone

Monica disse...

Voltei e reli o texto. Parece que o achei ainda mais bonito.
Quanto as minhas águas de inundar travesseiro, rogo para que elas cessem logo de verter.

Litza disse...

oi Martha,o interessante é que ainda ontem visitando o seu blog eu li esta história e fiquei imaginando se tratava-se de nossa avó Mariazinha pois não havia visto no final o adendo que vc. colocou com o nome dela. Achei que sim apesar de não conhecer a história. Mais uma vez quero te dar os parabéns pela sensibilidade e pelas coisas lindas que vc. escreve
Um beijo
Litza

RAINHA MAB disse...

A despeito da fé tenho vivido. A despeito da fé tenho chorado por tanto tempo embora saiba que de nada adianta,
De fé tenho vivido embora lá no fundo não a possua.

Martha, me ensina como você faz prá ver as coisas de um jeito tão lindo e tão bom.

Sílvia Câmara disse...

Martha, e essas xícaras orvalhadas com lágrimas marejaram-me. Muito.
Parece que esta semana estamos para as avós. Beijo, querida. Lindo!

Helder Hortta disse...

e eu não tenho duvidas que vc é uma boa menina sim. que amor a sua vô.

sim, a bichinha da minha gata não voltou. roubaram a bichinha. tomara que cuidem bem dela.
mas ja tem uma gatinha na barriga de outra gata aqui da vizinha.
vou criar outra hehe

bjs

Jane Malaquias disse...

Acho que toda mulher sente dentro de si a tentação de competir com o mar. Muito lindo o poema, já tinha esquecido de como quando criança eu gostava de chorar simplesmente porque as lágrimas me fascinavam e, quando me via com olhos inchados no espelho me sentia uma santa.

Raiça Bomfim disse...

Nossa, Martha, você acredita que há tempos eu venho tentando tirar da gaveta um poema inacabado para minha vó, que também é Maria?? Ler o seu foi quase como se o tivesse conseguido realizar. Coisa boa!

Nelson Ngungu Rossano disse...

Muito bonito!
Bonita homenagem...

Obrigado pelas visitas!

Monica disse...

Coisa mais linda esse cartão! Coisa mais linda vó.
Lembro saudosa da minha.
Tanta beleza essa sua voinha tb.
Obrigada por avisar.

Verônica Aroucha disse...

Querida Martha, nunca vi coisa mais linda! Se as lágrimas nunca secassem e fossem sempre as mesmas da esperança...
Bjs,
Verônica

Aline disse...

Martha,

Marejei, lembrei da minha avozinha que ficou no Brasil...

Sempre consegues emocionar com teus poemas!

Beijos!

Laura disse...

Uma PRECIOSIDADE , de fato!
É preciso guardar preciosidades em lindas caixas decoradas , pois são nossos tesouros, nossas heranças, que passaremos de mãe para filha!
É assim que é , é assim que deve ser!!!!

Mani disse...

Minha linda, eu me enterneço tanto com avós...Tanto!

Mônica Montone disse...

Nossa, que lindo, isso! Fiquei emocionada!!!!!!!!!!!! Mesmo!

beijos, querida e boa semana

MM

Fátima Freire disse...

Martha,
Seu blog a cada dia está mais lindo!
O cartão de sua avó me deixou muito comovida,hoje de manhã, por alguns segundos me perdi no tempo e lembrei de minha avó querida.
Fátima

Suzi disse...

Ô coisa mais linda, meu deus!

Helder Hortta disse...

já tem outra gatinha na barriga da mãezinha pra mim.
tomara que essa não suma.
bjs

Cláudia disse...

Ai, que lindo. É tão bom quando as palavras de uma estranha nos fazem chorar, como se fossem nossas.

Spells disse...

"inundou uma xícara de lágrimas
para banhar os olhos cegos
de seu filho recém-nascido"

Achei este pedacinho terno demais...

Bons sonhos... :)

nc

Conceição Pazzola disse...

Lindo poema, Marthinha. Adorei cada verso, achei super comoventes. Parabéns! O precioso cartãozinho da vovó Mariazinha é de uma ternura... Beijo, Conceição.

Suzana disse...

Lindo, lindo Martha!
Suzana

Bosco Sobreira disse...

Um dos poemas mais comoventes que li nos últimos tempos.
Obrigado, Poeta, por nos permitir compartilhar sua emoção.
Um beijo afetuoso.

Sílvia Câmara disse...

Vi o anjo da guarda, sim Martha.
Parece que o pedido de sua avó foi atendido, né?
beijo.
Emocionei-me novamente.

Teresa disse...

Lindo Martha!

Saudades

Teresa

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria