26 março, 2007

ao passo que anoitece
eleva a minha dor
Silêncio
a dor meço
a dor me sendo lenta
adio o mais que posso
o tresloucado gesto.

Martha

8 comentários:

Lobo disse...

E a dor se dissipa
Ao encanto de seus versos

Muito bom Martha, linkei você lá no uivos.

Bj.

LIRIS LETIERES disse...

Vixe! Ô mulher que faz bombas com as palavras!
Eita MAGAIVER!
Bjs espantados!

Fred Neumann disse...

Cara amiga Martha, eu conheço um suco que acaba com as dores, posso te indicar, hehehe!

Beijocas,

Fred

Demóstenes Felix disse...

Ao passo que a noi(t)ece
(e)leva a minha dor
Silêncio
a dor meço
a dor me sendo lenta mente
adio o mais que posso
o treslouca(do) gesto!

Mani disse...

adoro a palavra tresloucado!

Claudia disse...

MARTHA, AMIGA,
ADIE SEMPRE "o treslouca(do) gesto!"
e faça-o SEMPRE transmutar-se em VERSOS.
é isso aí.
cláudia

Tânia disse...

A música
o verso
A rima
a canção
O amor
o verso
A rima
a canção
Ver[s]amor
[Rima]dor
A música
o verso
A dor
o eco
A sonata
a partida
O prelúdio
o adeus
A menina
a flor
O adeus
do amor
Do adeus
a dor...

héber sales disse...

Martha, que bom receber tua visita e descobrir teus versos. Gostei muito destes. Lembrou-me Ana C. Gostas dela?
Anota meu e-mail para trocarmos idéias: hebersales@gmail.com

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria