17 janeiro, 2007

Tempo das piápias


Fins de tarde
langorosos de perfumes
e âmbar
trazem no regaço das lembranças
miudos gritando
piápias voando
ébrias ao vapor do entardecer.

Sussurrando meiguices
nas folhas do cajueiro
a brisa marinha
vem ondulando lengalengas:
foi na rua 27
que a mulher matou o gato...
pim, pam, pum...
tira a mão maria mulata.
Ah! e lengalengas são
jindungo para saudades.

Relâmpagos de nada abrem o Tempo
e olhando para trás vejo o candengue feliz
correndo, saltando entre arvoredos encopados.
Ó ancestral Divindade, dá-me de volta
o meu tempo das piápias brincando!


Namibiano Ferreira

8 comentários:

Ingrid Littmann disse...

Lindo porema cantarolado, de onde você vem???????

beijos

Mônica Montone disse...

O meu tempo de brincadeira na rua lembra vendedores ambulantes de vassouras e picolé ;o)

beijos, linda Martha

MM

RAINHA MAB disse...

Tristei, viu?

Ramon de Alencar disse...

...
-De uma época que os dedos da mão tinham nomes: E o meu era certamente um ´´Fura Bolo´´ e um ´´Mindinho´´.

...
´´Dedo Mindinho, Seu Vizinho, Maior de Todos, Fura Bolo, Cata Piolho.´´
´´-Cadê o queijinho que estava aqui? O Rato Comeu!´´
Pois é, mataram o gato.. deu no que deu... :)

Daniela Mann disse...

*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•`* Beijinhos

Helder Herik - disse...

"dá-me de volta
o meu tempo das piapias brincando!"

e eu queria o tempo da infancia. que eu não tivesse que sair por aí, buscando ele pela memória, mas que ele viesse numa chuva que também trouxesse um arcó-íris, com cheiro e gosto suspiro.

bjs

Anônimo disse...

Muito lindo... juntei-o a minha tarde de hoje.

Com afeto
Célio Pedreira

Namibiano Ferreira disse...

Marta visitei hoje seu blog e para minha surpresa estou lendo o que essa gente linda escreveu sobre tempo das piapias que sao na linguagem de minha terra as andorinhas (minha terra e em Angola, provincia do Namibe e de onde esse poeta aqui vem). Obrigado Marthinha, Sarava!

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria