28 dezembro, 2010

Encantar-te-ás com os poetas até conheceres um.
Com calças de poeta, camisa de poeta e casaco
de poeta, os poetas dirigem-se ao supermercado.

As pessoas que estão sozinhas telefonam muitas vezes,
por isso, os poetas telefonam muitas vezes. Querem
falar de artigos de jornal, de fotografias ou de postais.

Nunca dês demasiado a um poeta, arrepender-te-ás.
São sempre os últimos a encontrar estacionamento
para o carro, mas quando chove não se molham,

passam entre as gotas de chuva. Não por serem
mágicos, ou serem magros, mas por serem parvos.
A falta de sentido prático dos poetas não tem graça.

José Luís Peixoto

6 comentários:

Cosmunicando disse...

rsrsrsrsrs... maravilha, é por aí mesmo.

Por que você faz poema? disse...

Adeus, ano novo!

M. disse...

Você é que é linda Martha. Demais. Bjs., obrigada.

aeronauta disse...

Nossa, que poema lindo, Martha! Saudosa daqui, passo para lhe dar um abraço com cheiro de alfazema! Bjos.

Mariana Botelho disse...

eu tenho dois pés esquerdos, duas mãos esquerdas.

Edu O. disse...

que maravilha é essa!! amei. lindo quando diz sobre o peta na chuva. emocionante

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria