15 junho, 2010

Você sabe que vai cair
e se debruça.
Você quer a vertigem.

Se joga
e
voa
até o solo.

Martha














Foto: Aditi Jain
Beija-flor-vermelho

18 comentários:

Bípede Falante disse...

E a gente achando que vai se estatelar no chão, e você levantando voo bem la debaixo, de onde ninguém acredita ser capaz.
Que lindo!

Gerana Damulakis disse...

Pronta. Claro que pronta está a poeta.

aeronauta disse...

Meu Deus, que poema lindo é esse? Deu um arrepio e uma alegria na alma.

Edu O. disse...

Comentei láno Mínimo Ajuste e repito aqui, isso é um bom sinal para mim. Beija-flor é meu talismã.

Cosmunicando disse...

uau... e eu não vinha aqui faz tempo, e vertiginosamente tudo continua maravilhoso :)
vou roubar lá pro literapura, ok?
beijo.

aeronauta disse...

Martha, posso levar esse belo poema para o aeronauta?

aeronauta disse...

Desculpe, nem esperei sua resposta e já levei.

Fernanda Leturiondo disse...

friozinho na barriga.....
bjo

Lidi disse...

Lindo, Martha. Lindo mesmo!
Um beijo.

Giselly Lima disse...

estatelada, eu.
lindo.
bjs

M. disse...

Vi no aeronauta e vim rever aqui. Perfeito, Marta. Bjs

Quezia disse...

Pequeno poema.
Grande poesia.
Gigantesca poeta.

Eliana Mara de Freitas disse...

E você, cada dia mais afiada, na palavra, na emoção!

Beijos

_Diz disse...

Amo seus poemas, vc sabe.Bjs Laura

KImdaMagna disse...

...EXPLENDOR!!!!!


xaxuaxo

Fabi´s disse...

Hmmm
Sábio, interessante, intrigante!

nydia bonetti disse...

quem sabe viver, se atira... beijo, martha!

Nilson disse...

Volto à blogosfera e me daparo com essa maravilha. Vertiginoso, Martha. De uma leveza e de uma compreensão da nossa humanidade! Grande mesmo!!!

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria