24 outubro, 2009

















Ana Cordeiro
Liberdade

Dança em mim
essa vontade
esse desejo
de dizer o que sinto,
penso, saboreio

Essa marola de palavras,
maremoto, enxurrada,
esse trovão.

Minha yansã pega
de frente
pega de jeito
Rodamos a saia
e os raios, a brasa,

o barravento
são a minha verdade,
nada de mais, não.

Martha

7 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Minha yansã pega
de frente
pega de jeito
eu rodo a saia"
versos fortes e sedutores

Cosmunicando disse...

sua verdade faz rodopio de tufão, faz poema redemoinho e saia rodada... que bonito!
beijo

Georgio Rios disse...

Muy bién Chica Está estupendo!!!!Vale!

Edu O. disse...

Vixe, vixe, vixe!!!! que poesia retada!!!!

Raiça Bomfim disse...

Eparrê!
Magnífico!

Angélica T. Almstadter disse...

Adorei conhecer o seu blog. Cheio de charme e de caminhos interessantes. beijokas

Nílson disse...

Pegou de jeito! Massa!

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria