21 março, 2008

Rituais da Paixão

Uma paixão não é a Paixão. A paixão nem mesmo é alguma coisa. O que é apaixonante é o súbito aprendizado do ritmo de outro corpo; ou o lento aprendizado do ritmo de outro corpo: também a paixão se dá de múltiplas formas - ora se reconhecendo nos corpos que toca, ora se diluindo em sua in-diferença, ora transformando-os em arquétipos. E, apesar da familiaridade possível, está sempre do outro lado de tudo, nos extremos, nos desvios, nos rituais do risco e do excesso.


Monclar Valverde


4 comentários:

Raiça Bomfim disse...

Monclar foi meu professor. Aula transbordante, apaixonada. No semestre em que tive aula com ele, Monclar não deu sua famosa aula sobre paixão. Mas, de todo modo, os temas ali tratados faziam emergir meus extremos. Saíamos todos (ou a maioria) apaixonados.

Beijocona, Marthita.

d pessoa disse...

nussa!...
Apaixonei.

te vi de longe hj,
soltei olhares!

xeros

MARCIA disse...

PERFEITO!

la pepe disse...

LINDO! PERFEITO!
TODOS OS RITUAIS SÃO INTERESSANTES!
PARABÉNS POR SEXTA-FEIRA!
TE AMAMOS MUITO MARTINHA!
BEIJOS DOS "PÊPE ARAÚJO GÓES", MUITOS E DELICIOSOS BEIJOS!

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria