27 março, 2008

Foto: Haroldo

Estradas

As estradas dos pássaros
não são cobertas de barro
ou de cimento
são estradas sulcadas
na macia carne do vento.


Roseana K. Murray

6 comentários:

Gerlane disse...

Belo e suave este texto, Martha! Eu o utilizei em um trabalho com uma turma de 5ª série do Ensino Fundamental, há uns anos atrás e, quando o reli agora, deu-me saudade, pois a produção foi muito proveitosa.

Beijos pra ti!

Casulo Temporário disse...

Quanta coisa linda por aqui, Martha! E nos Versos de Falópio também, seus poemas sempre me tocam. Gosto muito das fotos de Haroldo. E estes pássaros!
beijos,
Ana Cecília

Bichinho disse...

Beijo fantasma.

LIRIS LETIERES disse...

Eu vi, eles passaram pela minha varanda!

Anônimo disse...

A presença do vento não faz a estrada menos enigmática, com leves brisas ou fases tempestuosas, mas oxalá que seja assim, leve, os tantos outros anos deste caminho...

Estamos esperando a sua chegada para um café e abraços afetuosos!

(E viva a idade da loba!)

Beijos

Márcia e Anaís

MARIAESCREVINHADORA disse...

Combinação perfeita, texto e foto, Martha. Os pássaros despertam sempre o desejo de criar asas para voar como eles.
Existe felicidade maior?
Beijos,

Conceição

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria