01 novembro, 2007

Bia e Luca












O Adolescente


A vida é tão bela que chega a dar medo.

Não o medo que paralisa e gela,
estátua súbita,
mas
esse medo fascinante e fremente de curiosidade que faz
o jovem felino seguir para frente farejando o vento
ao sair, a primeira vez, da gruta.

Medo que ofusca: luz!

Cumplicemente,
as folhas contam-te um segredo
velho como o mundo:

Adolescente, olha! A vida é nova...
A vida é nova e anda nua
– vestida apenas com o teu desejo!

Mario Quintana

8 comentários:

Tânia França disse...

Ave Maria! Nem sei o que é mais bonito: o poema de Quintana, Luca ou Bia...

anjobaldio disse...

Gosto muito do teu blog. Grande abraço.

Clóvis Campêlo disse...

Tânia tirou as palavras da minha boca...
Só escapou dela a beleza da poetisa-mãe, oculta mas presente!

Márcia disse...

Duas aves querendo voar! Belas!

Ramon de Alencar disse...

...
-E as palavras nossas de cada dia, acabam sendo diluvianas.

Maria Muadié disse...

É Bia, Xucurus, é Bia.
;)

José Calvino disse...

Todos já disseram tudo!
Neste mundo, imundo
Marimbondo!
Nós somos privilegiados(PIs).
Vivemos no mundo da literatura, da música, do cinema e do teatro...
Haja poesia.
Beijos do,
Calvino/Recife

RAINHA MAB disse...

Você merece todo o reconhecimento.
Beijo.

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria