07 fevereiro, 2007

Sou a linha torta,
o acerto inseguro,
o torpor da droga
e muita inquietude.

Sou lucidez e loucura,
tortura e mansidão.
Sou uma mulher permeável,
sou alegrias e dúvidas.

Sou cartas esquecidas na gaveta,
sou a lua minguante, fininha,
e, às vezes, sou lua cheia.

Sou o trabalho
e sou o ócio, o ócio, o ócio...
Muitos atos impensados e
algumas culpas.

Martha

5 comentários:

Fred Neumann disse...

E um mundo todo para impensarmos mais ainda, hehehehe!
Massa!

Beijocas,

Fred

Helder Herik - disse...

também sou assim, barroco "Sou lucidez e loucura,
tortura e mansidão.
Sou uma mulher permeável,
sou alegrias e dúvidas."

adorei...
bjs

Clovis disse...

Ótimo poetisa. Muito bom.
O ócio é a alma do negócio.
Abraços
Clóvis Campêlo

Mani disse...

e eu sou cartas escritas e nunca enviadas..beijos

Anônimo disse...

Martha,

Perfeitos os seus versos dizem quanto você é transparente e humana.
Grande abraço,

Conceição.

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria