22 fevereiro, 2007

Foto:Haroldo Abrantes


Daqui de casa
seguro a noite em meu peito.
Agarro a noite à unha
como um grande e velho touro negro.
Com um fio de voz
mantenho a lua suspensa
(imensa).

Se eu dormir
a noite desmorona.

Martha

11 comentários:

BELA disse...

Martha-queridíssima,
por fora é tão melhor, minha flor! Por dentro é sempre terreno de charco, pantanoso, ardiloso...
Por isso eu corro de dentro pra fora e me exilo, de tempos em tempos.
Montes de beijocas luminosas

Wagner Marques disse...

O que seria da noite se não fosse o sono das pessoas? já percebeu o quanto ela seria incomodada?

xxxxxxxxx

Mani disse...

Ah, faz assim não, voce me desmonta a cadac palavra!

Nelson Ngungu Rossano disse...

Entre prostitutas ruas, a neblina místifica a noite calada, nas pedras da calçada sente-se o húmido do constante deambuliar de ventos e marés, a lua pomposa esconde-se, não nos dá o ar de sua graça, e eu apenas contemplo, pois tenho todo o tempo do mundo...

Nelson Ngungu Rossano

Bonitas palavras, as palavras que estam aí em cima, acabaram de ser escritas, pois a tua noite inspirou-me...

Beijo

Anônimo disse...

Fica nessa vigília amiga...
Mas não deixa, por nem um segundo, fugir de teu laço esse touro.Essa noite sonharei por nós duas.
Beijo de despertar,
Liris Letieres

laura disse...

Lindo poema! vescreve lindo demais. adoro.
bjão laura

Lino disse...

Martha:
Você ganhou uma fã na Laura, que distribuiu o poema por e-mail e recomendou o seu blog.
E ela tem razão: a poesia é mesmo muito bela.

Clóvis Campêlo disse...

Marthinha:
Maravilhosos o poema e a fotografia.
Essa dupla, o fotógrafo e a poetisa, é afinada.
Inspirou até Jorginho Trepidação que nunca mais havia aparecido.
Clóvis Campêlo

Castro Alves, quem diria
segura a lua na mão
e a noite de luz incendeia
como se fosse pleno dia
e aponta a direção
reforça o dito de novo
agora mais do que nunca
a praça é sempre do povo
como o céu é do avião.

Jorginho Trepidação

Bosco Sobreira disse...

Minha querida,
Algum desses mistérios da net me roubou um comentário que deixei aqui, no mesmo dia em que vc. postou essa pérola. Não era muita coisa, até pq as palavras faltam pra expressar a emoção que o poema me (nos) passa. Não gosto de extrair versos de um poema (todo poema é um todo, assim como não é possível apontar um traço mais belo do Belo), mas não resisto:
Se eu dormir
a noite desmorona.

Lindo, Poeta!
Parabéns.
Um beijo afetuoso.

verônica aroucha disse...

Que lua forte e luminosa, Martha.
Mesmo dentro, terá sempre sua luz.
Lindas imagens, amiga!!
Verônica

MARIAESCREVINHADORA disse...

Martha querida,

Você não precisa segurar a noie em seu peito, ela já é toda sua.
Belíssimas imagens. Parabéns!
Grande abraço,

Conceição.

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria