21 novembro, 2006

Irisz Agocs


















Uma amiga me contou que para apaziguar seu medo de morrer seu pai lhe dizia: Calma, menina, gente não é passarinho.

A falta de fome ontem, o sol abrasa dor hoje, os compromissos da manhã e o medo me deixaram louca de enxaqueca agora à tarde.

Essa mania de ver demais apesar dos seis graus de miopia. Deus me deu de alívio seis graus, e eu insisto em apertar os olhos e querer nitidez. Haroldo sempre me diz que sou muito teimosa. Ontem, às oito da matina, vejo no posto de gasolina um casal que havia acabado de ser libertado de um sequestro-relâmpago. Ontem, no final da manhã, vejo (de longe) que um morador de rua matou com uma pedrada na cabeça um outro homem que dormia no Largo da Mariquita. Ali, pertinho de mim, do mar, do acarajé da Cira e de Caramuru.

Uma fraqueza me domina. Recolho minhas asas apesar do tempo bom.

Brisa de maravilhas sopram em meu dia:
De Bia, vejo a palavra Mãe;
de minha mãe, vejo a Sete Portas, dois pombos brancos desamarrados e soltos;
de Anaís, eu vejo a palavra Amor
e de Amanda, vejo os olhos pretinhos ávidos de mundo.

"Quero chorar, não tenho lágrimas", os tempos exigem fortaleza.
Os papéis se inverteram ainda a pouco, eu sinto medo.
Ainda ontem eu era uma menina franzina na praia da Pituba de mãos dadas com meu pai enfrentando ondas altíssimas. Ficávamos atentos, de frente para o mar, perscrutando os desígnos das ondas: as que deveriam ser puladas - delícias, vôos marinhos; as que deveriam ser mergulhadas - forte emoção, o maremoto passando por cima da minha cabeça.

Hoje essa menina franzina vive disfarçada nesta mulher que vos fala, e amanhã mesmo, assim disfarçada, vai segurar a mão de seu pai, um menino disfarçado em senhor, para enfrentar um mar revolto.

Forjando uma força que nem tem.
Que os passarinhos do céu digam: Amém.

Martha

17 comentários:

Mônica Montone disse...

Martha, querida, vim agradecer sua visita ao Fina Flor.

Gostei muito daqui - essa tela do pássaro é linda.

E vejo que é baiana! Ô saudades da Bahia que eu tenho, passei um mês aí durante uma temporada, foi bom demais.

Quanto a força, ela vem! Vem sempre que precisamos, mas, em todo caso, amém.

Beijos e seja sempre bem vinda ao Fina Flor

MM

Anônimo disse...

liiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiindo amiga. linda a fala, lindo o pássaro. lindo seu blog.
amém.
s.

Adilma disse...

Martha, oi querida.
Vim depois de muito tempo ver e prestigiar seu blog. Gostei muito. Tá bem legal mesmo!


Beijos de Adilma

Ane disse...

oi Marthinha,
Amei o seu blog!!! Lindas fotos, lindas palavras!!!!

Beijão para você!!!

Mila

Mani disse...

Amém!

Bela Caleidoscopica disse...

Martha querida,
que lindo, que lindo! E esses lugares e cenas me são tão familiares...que chega a doer e encher meus olhos d'água!
Eu, como boa passarinha (não a comida que Cira vende, mas a fêmea do passarinho 'avoador')digo AMÉM NÓS TUDO!
Lindo e fundo, minha querida!
Beijo beijo

RAINHA MAB disse...

Fácil, fácil: FINJA! Ninguém vai duvidar, o povo é crédulo como um real de pão.

Fred Neumann disse...

Oi, cara Martha,

Obrigado pela visita inicial lá no blog.
Eu já disse para meus amigos blogueiros soteropolitanos que Salvador está se tornando a capital brasileira do blog!
É incrível a quantidade de talentos vinda daí.
E só pessoas bonitas!
Bom te conhecer!

Soteropolitanamente ( existe?),

Fred

Sílvia Câmara disse...

Martha, hoje outra amiga te diz: um passarinho me contou que eles se reuniram e um canto uníssono, ecoou assim: A-A-MÈM/A-A-MÈM/A-A-MÈM.
Lindo, viu. Continue. Beijo grande. Sílvia

Raiça Bomfim disse...

"...
Deus me deu de alívio seis graus, e eu insisto em apertar os olhos e querer nitidez..."

Fantástico.

Anônimo disse...

Martha amiga, seu texto é lindo. Adorei! Um beijo

Anônimo disse...

Olha, esqueci de dizer que fui eu Junior aí em cima.

Conceição Pazzola disse...

Martha,
O coração transborda nas linhas de seu lindo texto.
Parabéns, amiga!
Grande abraco,

Conceicao.

Laura disse...

Lindo texto, Bj laura

Tânia França disse...

Vixe, Maria Muadiê do Céu! Quanta palavra bonita duma vez só! Quanto sentimento lindo dessa menina-passarinho, míope, mãe, medrosa do mar revolto que terá que enfrentar amanhã... e que certamente saberá a hora do pulo ou do mergulho, debaixo de um sol abrasa dor, hoje! Porque é também sábia!
Beijim querida,
Tânia
[sim, acredite: gente não é passarinho.]

Cláudia disse...

belíssimo, MARTHA!
tá com a gota serena, POETA! demais...
bjs
cláudia

MALU disse...

....Só podes ser tu se fores de tudo ou de nada.
Gosto de entar no seu blog. O blog da Marthinha!
Um beijo sempre. MALU

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria