25 outubro, 2006

Ficha incompleta

Foto: Haroldo Abrantes

Martha - por causa da santa. Dinho Bita bebia tanto que fez promessa pra parar. Entre parar e parir, ele pediu a minha mãe, sua sobrinha/irmã: Lai, se for menina bota Marta.

Com h - meu avô Agenor, pai de meu pai, contou as letras do meu nome e falou: Põe o h depois do t pra essa menina ter sorte.

Galrão - vem do bisavó padre, vem de Brício, de minha mãe e minhas tias, alegres e conversadeiras.

Abrantes - fiz questão de arraigar o nome de meu amor, o cara já tinha mesmo entrado em meu sangue pelas veias ...

Silva - este é de meu pai, nós, doidinhos da silva, alternando versos de dez sílabas com versos de seis.

Iray - mãe superlativa, hiperbólica, coração grande e sensível. Mãos e alma de artista: escreve, corta, costura, inventa, pinta, borda, faz croché, bonecas, orixás.

Ramon - pai passarinho de alma tão delicada, é meu abrigo. Alma de poesia, apegado as palavras, as histórias, ao mar, as árvores e aos pássaros.

Emília - madrasta hiperativa, quando se aquieta, conversas sinceras de mulher pra mulher.

Haroldo - namorado, "um anjo moreno, violento e bom-brasileiro" (Manuel Bandeira). Nasceu em Manaus, foi criado em Porto Alegre, e para a minha alegria assentou poeira em minha casa na Bahia.

Beatriz - minha filha, 13 anos de puro amor. Porque a vida é mais feliz no rosto de Beatriz e ela é tão linda que as mariposas pousam em suas pernas.

Priscila - enteada bonita já com 20 anos. Quando a conheci tinha 1 ano e 5 meses, amor maternal também.

Antônio - irmão querido flautista, lembrança comovente da minha infância. A vida foi ingrata conosco e não soubemos nos (re)encontrar. Ainda espero.

Maurício - irmão das brigas na criancice, os dois mortos de ciúme. Nos protegemos, nos amamos, muitas coisas "guentamos" juntos sentados lá em cima do armário da cozinha.

Marília - irmãzinha caçula, alma irmã, amor profundo, cumplicidade total. Nem percebi quando cresceu, mas a lógica praticamente se inverteu e agora é ela quem me dá bronca, me faz rir e eu que seguro em sua mão para atravessar a rua.

Dara - dálmata forte, linda, dominadora, quer ser a líder da matilha.

Mori - akita sábia, zen, quer viver em paz mas não aguenta mais os desmandos de Dara.

Filmore - mestiço de pincher e fox paulistinha (ô meu Deus!), agitado, latidor, pula mais que cabrito, seu sonho é ser cachorro de circo. Elemento crucial no desequilíbrio da nossa matilha.

Fubá - pintagol que nasceu numa gaiola e não pode mais sair dela (??). Vive na varanda mas dorme em casa nas noites de frio.

e

Pássaros - sem designação, sem nomes livres na goiabeira.


5 comentários:

Laura disse...

MUITO, MUITO, MUITO LINDO!
MARTHA COM H , COM SORTE , COM POESIA , SENHORA AMIGA DE TODAS AS LETRAS ,
SIGNIFICANTES E SIGNIFICADOS , SEMPRE ME SURPREENDE...

Jumara disse...

amei!

saudades.

bjs,

Jumara.

Clóvis disse...

A sua imagem fragmentada pelos espelhos (mais ainda do que a de Marylin), os olhos (in)quietos e profundos e uma blusa cheia do mistério dos planetas. Uma verdadeira constelação, chão de estrelas e o astro maior. Ótima a fotografia. Beijos.

Clóvis Campêlo direto do planetário

Marcelo disse...

Que lindo Martha!!!!

Marcelo

Malu disse...

AINDA BEM QUE é INCOMPLETA POIS FALTOU EU NESSA LISTA!!!!

ORA, ERA SO O QUE TE FALTAVA!!!!

TE AMO. LU

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria