08 setembro, 2006















Em Guaibim é assim
vento vem, vento traz

canário da terra, sabiá da praia, papa capim,
pica pau,
pássaro preto, assanhaço, caga sebo,
fogo pagô,
cardeal, bem te vi, beija flor

e pai, passarinho
de alma tão delicada
pousado na rede a espera
dos pássaros na hora marcada.


Martha

3 comentários:

Anônimo disse...

Sempre pensei que a fazenda do meu avô era em Buíque, sertão do Moxotó, do meu Pernambuco, mas agora vi que é em Guaibim, e pai, canário do brejo pousado na rede a espera do gado na hora marcada...(qualquer dia mando meu texto sobre o Brejo de São José, a fazenda do meu avô).
Que linda a sua poesia, Marthinha!E seu blog de arrepiar... e seus cachorrinhos, as fotos, as meninas, tudo! Beijim!

Anônimo disse...

Puxa, Marthinha,como sou burrinha! Saiu meu comentário como "penasmente" anônimo!

Tânia França disse...

Será o benedito????
Agora!!!

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria