30 setembro, 2006

Dona Maria, parteira.

Haroldo Abrantes


Lampejo
aos trinta meu corpo verga
de temores e prazeres

Almejo
um dia estarei mais velha

Anseio
um dia estarei mais forte.


Martha Galrão


3 comentários:

Vânia disse...

Martha,

Que delícia esse espeço à meia luz. Que bom que agora você compartilha seus dizeres desse mundo.

Esse poema (e essa maravilhosa foto), me lembra um trecho de Alejandra Pizarnik (você conhece? é uma argentina assombrosa): "suponho que o envelhecimento do rosto há de ser uma ferida de espantosa faca".

é um desenho do tempo, talhado.

volto sempre. beijo enorme.

taís almeida disse...

Eu queria te convidar a participar de um grupo chamado "as nove fadas ou algo em poesia feminina"

"nove filhas,
nove luas,
novas fadas,
em busca
do nunca
na Terra!"

Poesia: Taís Almeida- uma das fadas


a história é essa:

"numa estrada qualquer,
de palavra a soluçar,
mulheres-meninas
careceram de casar
e se uniram em alianças
de saturno.
ele deu as nove luas
de presente a elas
pra elas fecundar
fadinhas-poetas
pingando poesia
no céu, na terra
ou no mar..."

vc é uma das mulheres-meninas que se casou com saturno, e por fazer parte dessa aliança entre galaxia, te convido a deixar gotas da sua "fadinha-poeta" na comunidade.

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=21398981

beijo

Roma Dewey disse...

Lindo lindo lindo

A Chuva de Maria

A Chuva de Maria

Muadiê Maria

Muadiê Maria